domingo, 30 de julho de 2006

A febre dos blogs

A revista Época desta semana traz como reportagem de capa os blogs. Na versão online há um texto de Alexandre Inagaki (autor do Pensar Enlouquece) sobre 25 momentos da blogosfera brasileira. Um registro histórico bacana.

Frio

Agora sim, chegou o inverno. Domingão gelado, ensolarado e sem vento. Adoro dias como este na Ilha. Perfeitos pra fazer uma trilha.

quinta-feira, 27 de julho de 2006

Mais sobre o Master

Raulzito, do Puxadinho, não gostou de Edifício Master nem curte o estilo de trabalho de Eduardo Coutinho. Polêmicas são sempre bem-vindas, mas não acho que essa vá longe, por escassos méritos deste que vos tecla. Deixei meu comentário lá. Aproveita e confere umas belas fotos que ele tirou no Museu de Niterói, uma das vistas mais lindas do Rio.

Livros, guerra e paz

Em tempos bélicos, quatro clássicos pacifistas:

  • Matadouro 5, de Kurt Vonnegut, que presenciou o bombardeio aliado a Dresden na Segunda Guerra Mundial;
  • Kapput, de Curzio Malaparte, jornalista e escritor italiano que cobriu os alemães no front russo.
  • Nada de Novo no Front, de Erich Maria Remarque, sobre um soldado alemão na Primeira Guerra, e
  • Adeus às Armas, de Ernest Hemingway, sobre o front italiano no mesmo conflito.

Novas definições

DVD 24 horas, para casal com dois filhos pequenos, é aquele que a gente leva no mínimo 24 horas pra assistir. :)
~
É o caso de The Corporation, ótimo documentário que conta a história das corporações. O filme mostra como, em geral, elas apresentam todos os sintomas de indivíduos psicopatas. Apesar de longo demais - duas horas e vinte e tantos minutos -, é bastante educativo sobre a ganância e os métodos sujos de quem manda no mundo hoje. O DVD duplo traz também depoimentos ampliados dos entrevistados, entre eles Naomi Klein, autora de Sem Logo, Noam Chomsky e Michael Moore. O site tem links bem legais pra várias organizações ambientalistas, defensoras do comércio justo e redes ativistas.

Inocência e guerra

Diante de uma imagem de Beirute bombardeada no telejornal, Miguel comenta comigo, usando a mesma lógica que aplica pra afastar o medo de fantasmas, monstros e dragões:

- Pai, isso aí é só na tevê, né?

Gostaria tanto de responder que sim...

(digo a verdade ao alcance da compreensão de um menino de três anos e meio que busca segurança no pai: a guerra existe mesmo, filho, é muito feia e muito triste, mas tá bem longe).

Querido diário,

Ontem ajudei a transportar um poste de seis metros. É verdade: com uma alavanca, um ponto de apoio e a ajuda de dez braços, dá mesmo pra mover o mundo.

Livros e adolescência

Sete livros preciosos que eu daria de presente a alguém de 15 anos (também agradariam aos de 75):

  • As mil e uma noites.
  • O apanhador no campo de centeio, J.D. Salinger.
  • Lord Jim, Joseph Conrad.
  • Robinson Crusoé, Daniel Defoe.
  • Misto Quente, Bukowski.
  • Pergunte ao Pó, John Fante.
  • On the Road, Jack Kerouac.

Escritores favoritos (2)

Levaria as obras completas desses sete pra ler e reler numa ilha deserta:

  • Rosa, pelas veredas.
  • Borges, pelos labirintos.
  • Machado, pelo humor.
  • Márquez, pela narrativa.
  • Braga, pela beleza.
  • Baudelaire, pelo spleen.
  • Poe, pelo corvo e tudo mais.
Ainda tem lugar no baú do náufrago? Levaria também alguns que ainda não tive tempo de descobrir ou só o fiz pelas beiradas: Joyce, Leminski, Dostoievski, Tchekov, Drummond, Pessoa. Talvez também uns quadrinhos eróticos, folhetos de cordel, dicionário, antologia do Pasquim. E um notebook com conexão wi-fi via satélite, hehe...

Escritores favoritos (1)

Aí vai mais uma das famigeradas listas: vinte dos meus escritores preferidos, por ordem alfabética. Fiz a pedido de uma amiga. Retomo a usual advertência de que, se me pedirem outra daqui a meia hora, vai sair diferente. Por exemplo, me dou conta agora que deixei de fora Joseph Conrad, Clarice Lispector, Alejo Carpentier, Mário Benedetti, Julio Cortázar... Incluí nomes que alguns críticos dizem fazer "subliteratura". Bobageira. Meu critério principal foi relacionar os que mexeram comigo - nas emoções, no intelecto ou em ambos e outros sentidos.

  • Agatha Christie
  • Albert Camus
  • Charles Baudelaire
  • Charles Bukowski
  • Edgar Allan Poe
  • Ernest Hemingway
  • Fernando Sabino
  • García Márquez
  • Guimarães Rosa
  • Henry Miller
  • Isabel Allende
  • John Fante
  • João Ubaldo Ribeiro
  • Jorge Luis Borges
  • Machado de Assis
  • Milton Hatoum
  • Raymond Carver
  • Rubem Braga
  • Rubem Fonseca
  • Paul Auster

terça-feira, 25 de julho de 2006

Brincadeira na praia

maio05_feriadao 075
Adoro esta foto.
Clique pra ver ampliada.

No DVD estes dias

Edifício Master. Só agora consegui ver o precioso documentário de Eduardo Coutinho sobre os moradores de um prédio em Copacabana. Na aparente simplicidade das entrevistas com duas câmeras, entremeadas de vez em quando com cenas do edifício, vai-se desvendando um pouco das vidas e sonhos das pessoas que habitam aquele caos urbano. "É uma verdadeira aula lúdica de sociologia humana", diz um comentário que li. Mãe solteira, velho solitário, garota de programa, ex-jogador de futebol, banda de rock... Tem de tudo no Master. Recomendo também os comentários do diretor. 97/100.

Los lunes ao sol, de Fernando León de Aranoa. Premiado em San Sebastian e Gramado, conta a história de um grupo de amigos desempregados que se reúnem em um bar numa cidade do norte da Espanha. Eles trabalhavam para um estaleiro que fechou e perderam os empregos em meio a protestos de rua e repressão da polícia. Vivem um cotidiano tedioso (mas o filme não é), entre bicos e a difícil busca de um novo emprego. Javier Bardan dá um banho. 90/100.

Família Rodante. Doze pessoas de uma família embarcam num trailer em Buenos Aires e percorrem mil quilômetros para levar a matricarca a uma festa de casamento em Misiones, na fronteira com o Brasil. Tinha vários ingredientes potencialmente interessantes: road movie e realizado na Argentina, país que Laura e eu percorremos até o extremo sul em 1996, de ônibus e carona. É um dos piores filmes que vi este ano. Roteiro frouxo, uso abusivo de closes, personagens antipáticos e briguentos, ausência de humor. Un viaje muy aburrido para el espectador. 40/100, pela idéia original.

My baby this week: dancing days

Put on your dancing shoes, hold your baby close, and move to your favorite music! Support his head gently but firmly as you sway backward, forward, and from side to side. Dance lets her experience smooth, fluid movements — something he's working on developing but hasn't yet mastered. Plus, it's great exercise and a mood lifter for you!

[Babycenter.com]

De criança pra criança

De lá pra cá, de cá pra lá foi escrito por 15 crianças da Comunidade Chico Mendes. É o resultado da oficina O que é um livro, realizada na 5ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Durante dez dias as crianças ouviram e contaram histórias, leram dezenas de livros, fizeram entrevistas, visitaram uma gráfica e decidiram o que gostariam de contar. O resultado desse trabalho maravilhoso, coordenado por Gilka Girardello, Vanessa Schultz e Rafael Baró - e idealizado por Luiza Lins, diretora da Mostra - é um livro infantil que foi apresentado ao público no encerramento do evento, há uma semana. Com direito a autógrafo e tudo. Miguel gostou muito da história do menino que voava (Donovan Santos da Silva, sete anos) e da do golfinho chamado Anderson que viajava com o menino pro Japão (Djonathan dos Santos, oito anos).

Veranico de julho

Dias de verão ensolarado em pleno inverno. Não peguei praia, mas fiquei tempão sem camisa no quintal jogando bola com Miguel. De noite o termômetro desaba uns dez graus, mas não chega a ficar gelado. Reparei que as plantas estão meio confusas. Várias estão com folhas novas brotando. Doideiras do aquecimento global. Nos vinte anos que moro no Sul, não lembro de ter visto um mês de julho assim.

sábado, 22 de julho de 2006

Grãos

Grãos
Morro das Pedras, Floripa. Clique pra ver ampliada. Melhor ainda é dar um pulinho na praia e deitar na areia ;)

Miguelices: a barriga do herói

EU: - Vem cá, meu barriga-verde.
ELE: (contrariado, levanta a camisa e mostra)
- Eu não sou barriga-verde. Quem é barriga-verde é o Incrível Hulk.
(faz uma pausa e arremata, rindo)
- O Hulk é catarinense!

Paraíso agora

Esta semana vi Paradise Now, bastante oportuno neste momento de tragédia libanesa e ultra-belicismo. O filme conta a história de dois rapazes palestinos de Nablus, amigos de infância, que são recrutados para atentados suicidas em Tel Aviv. Sem discurso esquemático e com personagens de alta densidade dramatúrgica, apresenta as razões históricas do ódio entre palestinos e judeus. E deixa aberta, pra reflexão do espectador, a possibilidade do diálogo como alternativa à mútua agressão - embora a convivência pacífica entre os dois povos pareça hoje um sonho distante. Excelente! 95/100.

Jarhead

Ontem vi Jarhead, de Sam Mendes - a gíria se refere aos marines americanos e em tradução livre poderia ser "cabeça de cuia", mas em português foi batizado "Soldado anônimo". Tava curioso pra ver como o diretor do ótimo Beleza Americana iria abordar a guerra do Golfo. Baseado numa história real escrita por um ex-combatente, mostra o cotidiano dos fuzileiros durante o treinamento nos EUA, depois no deserto saudita e durante o avanço pelo Kuwait. É superior à grande maioria dos filmes de guerra americanos e possivelmente bem fiel ao cotidiano dos fuzileiros. A opção do diretor foi mostrar só o ponto de vista de um lado combatente - assim como em Platoon, de Oliver Stone, o inimigo é uma sombra vislumbrada. Por outro lado, ao abrir mão da onisciência, ganha em humanidade. A narrativa se sustenta na evolução do protagonista, na descrição vívida do tédio e no clima de loucura coletiva que envolve a expectativa de matar / medo de morrer. Clássicos como Apocalypse Now e Deer Hunter são homenageados em trechos da narrativa. De certa forma, Mendes "desconstrói" o mito do guerreiro todo-poderoso ao mostrar a fragilidade dos corneados, a fuga masturbatória e outras miudezas cotidianas. Não é um filme extraordinário, mas vale conferir. 75/100.

quinta-feira, 20 de julho de 2006

Roquenrol

Não escrevi nada no dia do rock, então aí vai mais uma lista. Doze performances arrepiantes:

- Purple Haze, Jimi Hendrix.
- Satisfaction, Rolling Stones.
- The Wall, Pink Floyd.
- Stairway to Heaven, Led Zeppelin.
- O tempo não Pára, Cazuza.
- Acrilic on Canvas, Legião Urbana.
- Light my Fire, The Doors.
- Get Back, Beatles.
- Blowin' the Wind, Bob Dylan.
- Layla, Eric Clapton.
- Metamorfose Ambulante, Raul Seixas.
- Sunday Bloody Sunday, U2.

Dessas, a única que vi ao vivo foi a de Raul, num de seus últimos shows - com Marcelo Nova na Pirâmide em Palhoça, SC.

Qual é a sua lista?

quarta-feira, 19 de julho de 2006

Textutas: massagem boa

Massagem boa

Será que já publiquei esta foto aqui? Se já, aí vai outra vez. Ela me lembra o que Neruda fez na entrada da casa dele em Isla Negra, no Chile: um corredor de conchinhas pra massagear os pés.

Copyleft. Clique pra ver ampliada.

terça-feira, 18 de julho de 2006

Brunitezas: três meses e meio

Sou pai de segunda viagem, mas o fascínio é o mesmo. Como é bela a evolução de um neném de três meses e meio! A cada dia, em cada gesto, olhar ou balbucio, Bruno vai se dando conta da maravilha de viver. E o papai babão fica abobalhado, "guti-guti, tico-tico". Olha o que diz o Babycenter esta semana:

You can't see it happening, but the areas in your baby's brain that control hand-eye coordination, hearing, language, smell, and the ability to recognize objects are developing now. That's why your baby often turns toward you and starts gurgling when he hears your voice — he's making a connection. Talk and read to him often; it's the best way to spark his communication skills, even if he can't understand what you're saying just yet.

Oitenta e um

Hoje é o aniversário de 81 anos de meu pai. O véio Camillo é uma figura rara, quem o conhece sabe. Ano passado, nesta data, estávamos todos os irmãos e uns 200 parentes comemorando os 80 num festão em Russas, Ceará (e nos revimos aqui em Floripa no reveillon). Desta vez não pude ir, mas tamos juntos.

Tempo

O site Relatime, dedicado a experimentos sobre como as pessoas percebem o tempo, oferece várias opções de relógios online com um belo design e um engenhoso conceito: o ponteiro de minutos não toma o 12 como referência, e sim o ponteiro das horas. Coloquei um dos modelos na coluna ao lado.

Miguelices: falando dormindo

Essa naja tem muito veneno.

segunda-feira, 17 de julho de 2006

Miguelices: primeiras letras

Laura vestia o "canguru" pra dar uma volta com Bruno quando Miguel se saiu com essa:
- Mãe, tem um X nas suas costas.
- É mesmo, filho.
- Igual ao do moço do caminhão de lixo.

Chegou Theo

Nasceu hoje no início da tarde na clínica Santa Helena, em Floripa, o primeiro filho de Joca Wolff e Valéria, Theo. Um dia depois do aniversário de Joca. Papai, mamãe e filhote passam bem.

domingo, 16 de julho de 2006

Miguelices: argumento

- Miguel, vem escovar os dentes.
- Tou de férias, pai.

sábado, 15 de julho de 2006

Dez cheiros da minha infância

Leite materno.
Fralda de pano.
Manga rosa.
Mar nordestino.
Café torrando.
Selva amazônica.
Chuva na terra.
Sargaço ao sol.
Óleo de barco.
Taperebá (cajá).

sexta-feira, 14 de julho de 2006

Vacaciones

Entro de férias a partir de hoje por duas semanas. O blog continua mais ou menos como sempre: uma compulsão sem compromisso.

Tag cloud

Tou testando um recurso web 2.0, as tags geradas pelo Zoomclouds. Aí na barra da direita você vê (UPDATE: via) uma "nuvem de rótulos", gerada automaticamente a partir do RSS que este blog envia. A idéia é oferecer uma alternativa de navegação mapeando os termos mais utilizados - as palavras em corpo maior são as que têm mais referências.

Percebi dois inconvenientes. O primeiro não é propriamente um problema, mas temos que "ensinar" a ferramenta, cadastrando manualmente uma lista de palavras que a gente não deseja que apareçam - por exemplo, as preposições. E incluindo outras que o sistema não mapeou e a gente gostaria de ver. O outro é mais comprometedor: quando abro o blog com o Firefox (versão 1.5), a caixinha é deslocada do lugar e jogada sobre a coluna da esquerda. A ver.
~
UPDATE: Retirei a tagcloud. Não funciona legal com o Firefox.

Patrulha cultural


A revista de humor em quadrinhos Banda Grossa, patrocinada por um edital da Fundação Cultural de Joinville, está envolvida em grossa polêmica. Alguns vereadores resolveram dar uma de patrulheiros da arte: acusam os quadrinistas de pornografia, apologia às drogas e ofensa à fé cristã. Foi o melhor presente que eles podiam dar aos caras, tá vendendo feito água. Quero o meu exemplar!

Serviço de xarjincasa

quinta-feira, 13 de julho de 2006

Viagem na viagem

Viagem na viagem
No trem entre Itália e Áustria. É uma das minhas fotos favoritas. Parece posada, mas não é. Só a vi quando revelamos o filme. Clique pra ver ampliada.

Laura Tuyama, 1997.

A precarização da vida

Matéria muito boa da Nilva Bianco, com fotos de Marcello Vitorino, sobre a terceirização nas indústrias calçadistas de Franca. A personagem principal é uma mulher grávida de seis meses que precisa lidar com cola de sapateiro todos os dias em sua empresinha caseira.

A reportagem traz também uma interessante dica de leitura: Questionando um mito: custos do trabalho de homens e mulheres, organizado pela diretora da OIT (Organização Internacional do Trabalho) no Brasil, Laís Abramo.

Em 2001 e 2002 ela coordenou um estudo em cinco países - Brasil, México, Argentina, Chile e Uruguai - pra estabelecer o custo real de direitos como o salário-maternidade, atenção médica na gravidez e parto, estabilidade, horário de lactância, creche e direito a licença em caso de doença da criança.

O levantamento mostrou que os custos diretos para o empregador no Brasil não passam de 1,2% da remuneração bruta mensal da trabalhadora, um percentual que não justifica a desvantagem na hora da contratação ou a política salarial diferenciada pra homens e mulheres.

quarta-feira, 12 de julho de 2006

terça-feira, 11 de julho de 2006

Sábias palavras

Perguntaram ao dalai-lama o que mais o surpreendia na humanidade. Ele respondeu:

"Os homens. Perdem a saúde para juntar dinheiro. Depois, perdem dinheiro para recuperar a saúde.

E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente, nem o futuro.

E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido".

[via Laura]

Infância e imaginação

Pra matar a saudade: uma seleção de 25 tirinhas de Calvin e Haroldo. Tou começando a viver com Miguel algumas dessas aventuras no mundo da fantasia.

Cara nova

Em homenagem à chegada das férias na próxima semana, mudei o visual do blog. Fiz a montagem tomando de empréstimo uma linda foto que Clearly Ambiguous colocou no Flickr sob licença Creative Commons.

segunda-feira, 10 de julho de 2006

Book news

Lendo: O jogo da Amarelinha (Cortázar, emprestado) e Adeus às Armas (Hemingway, R$ 12 no sebo da praça dos bombeiros).

Comprei: A arte de viajar, de Alain de Botton, seguindo a dica da Beth. E Misto Quente, talvez o melhor livro de Bukowski.

DSNG: ostras

Da Série Notícias Gastronômicas. Reportagem do Valor informa que a safra de ostras em Santa Catarina deve bater recorde este ano.

My baby this week

Who's the cutest baby in the world? If you put a mirror in front of your little one this week, you'll know he thinks he's number one by her big smile and happy gurgling. Most 3-month-olds love to look at themselves — and their parents and siblings. Babies are drawn to faces more than any other image until 6 months.

[babycenter.com]

Cearenses

CearensesCrianças da comunidade Goiabeira, em Fortaleza.
Clique pra ver ampliada.

Alegria

AlegriaCrianças da comunidade Goiabeira, em Fortaleza.
Clique pra ver ampliada.

Fim de tarde

Fim de tardeMoradores da comunidade Goiabeira, formada por barracos construídos sobre dunas num dos lugares mais bonitos de Fortaleza, a Barra do Ceará.

Clique pra ver ampliada.

Por e-mail

Olhando as faltas alheias,
Pesquiso os erros que tenho
E encontro as faltas que trago,
Em vez de cerrar o cenho.

Ferreira Aguiar


livro Recados da Vida
Francisco Cândido Xavier, por Espíritos Diversos
GEEM - Grupo Espírita Emmanuel Sociedade Civil Editora

[enviado por Leo]

sexta-feira, 7 de julho de 2006

The Art of Travel

Recebi esta dica de leitura da amiga Beth Parada, que conhecemos há nove anos num albergue em Amsterdã. Ela e o marido Javier têm uma livraria em Saint Louis, Missouri.

I wanted also to recommend a book that I read recently - The Art of Travel by Alain de Botton. Have you read this? I've seldom read a book that asked so little from the reader, but gave so much. He talks about why we travel, and what we hope to find when we travel. And about how we approach places that we travel to with very specific needs, but they confound us by being much more than what we imagine them to be. It's very philosophical and also funny, in a very subtle way.

quinta-feira, 6 de julho de 2006

A boa do dia

O Senado aprovou projeto de lei que cria penas mais severas para quem comete violência doméstica contra mulheres. O texto foi aprovado sem alterações, tal como foi solicitado pelo Conselho Nacional dos Direitos da Mulher. Aqui tem mais.

quarta-feira, 5 de julho de 2006

Zona de Impacto

A número 2 saiu do forno. Nesta edição a reportagem de capa, escrita por Diógenes Botelho, é sobre os dilemas da Zona Franca de Manaus, que gera 100 mil empregos, mas também foi responsável pelo inchaço desordenado da capital amazonense, hoje com mais de 2 milhões de habitantes. Sou suspeito pra falar, mas tá muito boa a revista. A íntegra tá aqui.

terça-feira, 4 de julho de 2006

Allons enfants

No dia 17 de junho, com três semanas de antecedência, chegou Gaspard, filho de nossos amigos franceses Jerome e Veronique. Nasceu com 46 cm e 2,6 kg. Bienvenu!!!

Personal DNA

Um teste psicológico bem legal. Aloha, Nando.

Malária e índios

Entre janeiro e maio de 2006 foram notificados 1.906 casos de malária entre 10.159 Yanomami atendidos pelas instituições conveniadas com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) no Amazonas e em Roraima. Em cinco meses a malária já atingiu 12% da população da Terra Indígena Yanomami (15.686 pessoas, segundo censo de 2005). Quem denuncia é a ong CCPY - Comissão Pró-Yanomami. "Estes números evidenciam uma crescente degradação da situação sanitária yanomami, bem como a inoperância da reforma da saúde indígena implementada pelo atual governo em meados de 2004 no Distrito Sanitário Yanomami: em 2003 ocorreram 418 casos de malária em todo o distrito e 622 casos em 2004", diz o boletim eletrônico da organização. A CCPY acrescenta que o governo vem sendo alertado do problema há mais de um ano.

segunda-feira, 3 de julho de 2006

Nesta data querida

Bruno completa três meses hoje. Saudável, risonho, bochechudo e cheio de personalidade. Já descobriu que as mãos servem pra pegar, que girando o pescoço dá pra ver mais coisas e que é melhor ficar passeando no colo que parado no berço. Gosta de pegar no nariz do irmão, adora uma massagem e já ensaia algumas coisas numa língua que só ele mesmo entende. Tá um gato.

De volta à real



Do Estado de São Paulo de hoje:

Um quinto do Congresso - pouco mais de uma centena de parlamentares - está sob investigação do Ministério Público Federal ou responde a processo criminal perante o Supremo Tribunal Federal (STF).

Minhas Copas: 94, 98, 02, 06

Pra terminar rapidinho a série e passar quatro anos sem falar de Copa. As quatro últimas, vi em Floripa.

1994, Estados Unidos. O futebol de resultados. Ronaldo, Bebeto e os gols bebê. Vimos a final por pênaltis na casa da Gabriela. Não me lembro de grandes efusões comemorativas.

1998, França. Invernão gelado. Vimos com a família na rua dos Surfistas, e filmando pelos bares com a Nynne, amiga dinamarquesa. Jogaço com a Holanda. A final? Que final?

2002, Japão-Coréia do Sul. Apê na Serrinha, Miguel na barriga de Laura. Vi sozinho - quase todos os jogos -, tomando café na madrugada. Foi diferente e legal.

2006, Alemanha. Derrota merecida e sem lágrimas. Duas imagens me ficam: o símbolo da Nike na bandana de Ronaldinho Gaúcho na hora do hino e o chapéu de Zidane sobre Ronaldo.

E vamos mudar de assunto?

Livro em liquidação

Do blog da Trip.

"A trajetória e as lições de liderança de um dos maiores nomes do esporte - o técnico da seleção brasileira de futebol Carlos Alberto Parreira - estão reunidas neste livro, uma referência para formar equipes vencedoras e manter resultados sempre positivos".

Mais uma de Malta

Fernando manda mais esta:

Olha so o que eu acabei de ver no centro de Sliema, aqui em Malta. Promocao numa loja: Compre uma camiseta oficial de Portugal e ganhe de brinde uma do Brasil! De brinde! Inacreditavel! Olha so o que o Parreira fez com a gente. Que humilhacao. Viva o Felipao! Viva Portugal!